Dica de Livro: Crônicas Saxônicas de Bernard Cornwell

110766672_2GG
Ragnar Lodbrok inspirou um personagem da trilogia “Crônicas Saxônicas” do autor inglês Bernard Cornwell, Ragnar o intrépido, um jarl (chefe) dinamarquês que participa da invasão à Grã-Bretanha. A obra ainda utiliza, como personagens, Ivar e Ubba, referidos como os irmãos Lodbrok.  Por isso estou fazendo um pequeno resumo dos livros.


Continuar lendo

Música do Led Zeppelin sobre os Vikings

Immigrant Song” é a primeira faixa do terceiro álbum da banda britânica Led Zeppelin, Led Zeppelin III, lançado em 1970.

A canção foi escrita durante uma turnê do grupo britânico no início da década de 1970. O primeiro concerto desta turnê foi em Reykjavik (Islândia), que inspirou o vocalista Robert Plant a compor a canção. Apenas seis dias após a apresentação do Led Zeppelin na capital islandesa, a banda tocou Immigrant Song pela primeira vez durante o Bath Festival de 1970.

Sua letra é dedicada a Leif Ericson e faz explícita referência às conquistas Vikings e a antiga religião dos povos nórdicos (“To fight the horde, singing and crying / Valhalla, I am coming!”). Cantada pela perspectiva dos vikings remando para o oeste da Escandinávia à procura de novas terras, seu ritmo regular evoca a determinação dos conquistadores e seus remos golpeando a água. O verso“The hammer of the gods will drive our ships to new lands” levou muitos a chamar a música de Led Zeppelin de “Hammer of the Gods”(tradução, Martelo dos deus). A mesma frase acabou usada para dar título à famosa biografia da banda, “Hammer of the Gods: The Led Zeppelin Saga”, de Stephen Davis.

“Immigrant Song” foi usada para abrir concertos do Led Zeppelin entre 1970 e 1972. Ao vivo, o guitarrista Jimmy Page toca um solo não incluso na versão de estúdio.

Além disto, a canção foi uma das poucas do Led Zeppelin lançadas como single, o que ocorreu – contra a vontade da banda – em outubro de 1970, pelo selo Atlantic Records. “Immigrant Song” alcançou a posição #16 na parada musical da Billboard. A canção também é uma das raras autorizadas pelo grupo a tocar em um filme – em 2003, em School of Rock.

 

Escute a música e logo abaixo sua letra e a tradução:

 

Immigrant Song

Aaaaah
Aaaaah
We come from the land
Of the ice and snow
From the midnight sun
Where the hot springs blow
The hammer of the gods
Will drive our ships to new lands
To fight the horde, singing and crying
Valhalla, I am coming
On we sweep
With threshing oar
Our only goal
Will be the westernshore
Aaaaah
Aaaaah
We come from the land
Of the ice and snow
From the midnight sun
Where the hot springs blow
How soft your fields so green
Can whisper tales of gore
Of how we calmed the tides of war
We are your overlords
On we sweep
With threshing oar
Our only goal
Will be the westernshore
So now you’d better stop
And rebuild all your ruins
For peace and trust can win the day
Despite of all you’re losing
Uh, uh, uh…

Canção Do Imigrante

Aaaaah
Aaaaah
Nós viemos da terra
Do gelo e da neve
Do sol da meia-noite
Onde as fontes quentes explodem
O martelo dos deuses vai guiar
Nossos barcos para novas terras
Para combater a horda, cantar e chorar
Valhalla, eu estou indo
Avante nós vamos
Com remos surrando
Nosso único objetivo
Será a costa oeste
Aaaaah
Aaaaah
Nós viemos da terra
Do gelo e da neve
Do sol da meia-noite
Onde as fontes quentes explodem
Como são macios e tão verdes seus campos
Podem murmurar contos de matança
De como nós acalmamos as ondas da guerra
Nós somos seus comandantes
Avante nós vamos
Com remos surrando
Nosso único objetivo
Será a costa oeste
Então é melhor você parar
E reconstruir suas ruínas
Por paz e confiança pode-se ganhar o dia
Apesar de todas suas perdas
Uh, uh uh…

A Saga de Biorn

Biorn

A Saga de Biorn é um curta animado criado por alunos da escola The Animation Workshop na Dinamarca.

A história gira em torno de Biorn, um viking idoso, que está determinado a chegar a Valhalla, o mundo da vida pós-morte dos guerreiros Vikings. Para ganhar a entrada nesse mundo, ele tem que morrer de forma honrosa em batalha, mas ele vai descobrir que não é tão fácil assim…

O curta tem pouco mais de 7:00 minutos,  confira essa animação bem divertida:

por brenovikings Postado em Extras

Hagar – O Horrível

qx_hagarQuando montamos o grupo pra saber quem tinha interesse em escrever para o blog, conseguimos muitas pessoas e infelizmente, a maioria desistiu ou nem sequer deu notícias, mas estamos aqui ainda, firmes e fortes. Entretanto, o legal do grupo foi que após discutirmos o caminho do blog chegamos a uma conversa mais amistosa e eu acabei perguntando para o pessoal o porque do nome daquele personagem dos quadrinhos, o Hagar (tudo por preguiça de pesquisar rs).

Mas então fui dar uma olhada e descobri que não existe um porque, o nome simplesmente surgiu e convenhamos, caiu bem para o tema.

Hagar, o horrível é um viking estereotipado, que comenta sobre a vida e vez ou outra faz parecer que vive nos tempos de hoje, mas não é bem assim, a crítica é voltada para os problemas de antes que continuam sendo cometidos. (Eu vejo um museu de grandes novidades).

Pra quem tiver interesse é só dar uma olhada no blog ComicsHagar, tem bastante material bom.

Sverd i fjell – As Espadas na Montanha

Sverd i fjell – As Espadas na Montanha.

Sverd-i-fjell-HafrsfjordEste é de longe um dos monumentos mais impressionantes do mundo, três gigantes espadas vikings de 10 metros de altura cravadas em rocha pura, em uma das colinas em frente ao fiorde de Hafrsfjord , na região portuária de Stavanger, Møllebukta, oeste da Noruega, em honra a batalha que em 872 unificou o país, sob o comando de Harald Hårfagre, começando assim uma época de prosperidade no país escandinavo.

A espada maior representa a arma do próprio rei guerreiro viking Harald, cujo sonho era unir todos os reinados em um só país, a Noruega e ele jurou que não cortaria o cabelo antes de conseguir seu objetivo e então denominou-se ”Harald, O Louro”. Seu simbolismo é a paz, uma vez que, estando a espada cravada na pedra, ela não seria mais usada nem pelo rei. Representa a paz que a idade de ouro trouxe a uma Noruega que permaneceu em constante estado de guerra interna na maioria do século IX.

Créditos: Acontecimentos Históricos